Home Aula de canto Como cantar Agudos – Lorna Earnshaw
Como cantar Agudos – Lorna Earnshaw

Como cantar Agudos – Lorna Earnshaw

0
0

Muitas vezes a maior dificuldade está na emissão das notas mais altas. Por que temos essa dificuldade para emitir notas altas? Porque são notas que geralmente não emitimos.

Nosso corpo não está acostumado a ter que funciona nessa frequência. Nós não temos a pressão necessária, força Músculo necessário ou a técnica para alcançar as notas agudas. Notas agudas precisam de mais pressão e gastam menos ar. Então o primeiro ponto para que possamos melhorar nosso alcance é melhorar nossa respiração. Neste curso você tem vários exercícios disponíveis para aumentar sua pressão golpe. Principalmente os exercícios de golpe contínuo, de interrupção, de coordenação.

Estas técnicas irão melhorar a sua técnica de respiração, fazendo você alcançar naturalmente as notas agudas mais facilmente Por um lado, respirando Por outro lado, a articulação Quando cantamos notas altas, precisamos abaixar o queixo, abrindo a boca De acordo com a nota, abaixarei meu queixo mais ou menos As notas mais agudas vão precisar que eu desça muito.

Por que isso acontece? Porque quando cantamos as notas mais altas, a laringe sobe Nossa tendência natural Será para levantar a cabeça Mas acontece que, se fizermos isso, vamos apertar a laringe Se a laringe estiver tensa, os agudos não serão emitidos Porque a resistência do A musculatura não permitirá que a elasticidade necessária exista.

É por isso que precisamos mantenha a cabeça parada (sem levantar), abaixe o queixo, nunca levante o queixo, nem para apertar a nuca e deixar a garganta completamente relaxada e os ombros relaxados É essencial realizar o relaxamento antes de cantar para evitar o estresse que dói diretamente os altos. É essencial ter um bom fôlego e usar muitas “mangueiras” (que também são explicadas durante o curso) Quando eu uso a “mangueira”, vou combiná-la com a ação de abaixar o queixo nas notas altas. Como vai esse movimento do queixo? O que facilitará a emissão da nota alta não será cantada com a boca aberta todo o tempo. É a ação de abertura.

Eu não vou fazer (aaaaa som de a), ni (aaaaa som de a) Eu vou fazer (aaaa som de um ) Eu vou abaixar meu queixo o momento da nota mais alta.

Então eu combino com a “mangueira” Eu não levantei a cabeça Eu não fiz isso: (aaaa som de a) eu mantenho meus ombros, e tudo bem relaxado Uma coisa muito comum é que quando se trata de cantar os altos as pessoas pensam: “Oh meu Deus, Agora vem o afiado, eu farei força “Não! Isso é errado, a força é o oposto de técnica vocal Para nós conseguirmos os altos nós não temos que fazer força Todos a pressão estará na técnica de “mangueira” e a garganta estará completamente relaxada.

O queixo, a maxila solta e caída sem força Ao mesmo tempo, vou descer a base da língua Abrindo esse espaço nós temos outro suporte e criamos um espaço que também vai gerar sérios harmônicos para que a nota alta não soe tão estridente (som de a) O que eu fiz? Abri minha boca mais na hora de Vá para os altos.

Ao mesmo tempo que sob o queixo eu vou praticar para baixar a base da linguagem Por que eu faço tudo isso? De modo que o som não parece “apertado” O movimento A posição baixa em direção à base da língua também deve ser muito relaxada Em suma: no momento de cantar os agudos, relaxamento, “mangueira”, manter a postura sem levantar a cabeça, deixe o queixo cair e abaixe a base da língua.

tags: